sexta-feira, 8 de abril de 2011

a letter to anyone.

hoje o dia foide reflexao sobre tudo o que está acontecendo na minha volta.Percebi que nao me sinto em casa nem mesmo aqui, na minha residencia, e muito menos com meus amigos ou no serviço.
Enquanto voltava, vi um por do sol bonito, mas me pareceu um tanto sem brilho. Eu vi aquela agua brilhando e o sol sendo absoluto naquela coisa sem fim que é o guaiba. Talvez o fato de ter feito toda a viagem sozinho tenha me pesado um pouco.
Há momentos em que o que eu mais quero é falar, em outros abraçar, mas a verdade é que ultimamente eu tenho perdido o interesse por quase tudo, até em tentar me locomover. Não quero atrapalhar ninguem, mas gostaria de ser ouvido e entendido pelas pessoas quando eu falo com elas.Eu falo a mesma lingua que todos na minha volta, mas mesmo assim não sou compreendido.
Já não falo apenas de amor, mas falo isso de pessoas em geral. Há momentos em que a antropofobia parece constante em mim, talvez seja apenas uma ideia tosca da minha cabeça, mas é algo que tem me encomodado bastante.
Todas minhas lutas parecem ter chegado ao fim. Eu sempre fui um cara persistente, até onde recordo, mas agora parece que nao tenho mais porque me esforçar em algo que no fim será um grande nada.
Quando eu vou conhecer algo que me anime novamente ? Será que algum dia eu vou voltar a ser quem eu era antigamente ? Espero que sim. Meus arrependimentos nunca foram maiores do que a vontade que tive em fazer aquilo. Tem vezes em que eu olho uma estrela la no céu, muito distante, ai começo a pensar longe, faço viagens incriveis, sem aproveitamento algum.De repente, aparece um nome.Sinto vontade de grita-lo,mas nao adiantaria de nada.
Mesmo assim eu peço para que me de um nome. E a estrela sempre me dá.
Ir , voltar, ir novamente... as coisas vao mudar naturalmente.Não importa o que eu faça ou se eu vou ou nao fazer. O mundo nao depende de mim, e sim eu dele. Eu vivo ou morto, andando ou parado, amado ou sozinho, com medo ou valente, chorando ou com dores. Não existe diferença.
Gostaria que se possivel, nao tivesse mais que fingir nao gostar de alguem , para tentar me aproximar. Nao ter de fingir que estou gostando para ser ouvido . Se todos fossem verdadeiros e falassem a real ao inves de ficar enchendo linguiça. eu teria muito mais interesse no mundo do que tenho agora.O problema é que as pessoas só sao elas mesmas, quando fazem algum tipo de maldade. Talvez por isso eu me esconda e nao fale mais.
Mas um dia as coisas vao melhorar.
Eu acredito.
Meu coração grita, espero que outro coraçao consiga escutar.

no name - asian kung fu generation
dan dan kokoro hikariteku - zard

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Visite tambem http://www.aoitsukiblog.blogspot.com/ (ou não xD)