sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Percy Sledge ~ When a man loves a woman


When a man loves a woman
Can't keep his mind on nothin'else
He'd trade the world
For a good time he's found

If she is bad, he can't see it
She can do no wrong
Turn his back on his best friend
If he puts her down

When a man loves a woman
Spend his very last dime
Trying to hold on to what he needs
He'd given up all his comfort
And sleep out in the rain
If she said that's the way
It ought to be

When a man loves a woman
I give you everything I've got (yeah)
Trying to hold on to your precious love
Baby, baby please don't treat me bad

When a man loves a woman
Deep down in his soul
She can bring him such misery
If she is playing him for a fool
He's the last one to know
Loving eyes can never see

Yes when a man loves a woman
I know exactly how he feels
'Cause, baby, baby, baby
I am a man
When a man loves a woman

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

to:

Decidi que minha vida deve seguir o padrão entediante de um ser humano normal e qualquer.
Desde segunda estou em um trabalho onde sou chamado unica e exclusivamente pelo meu nome e tenho o cabelo raspado como a muito não fazia e como nunca gostei. Vivo sem barba e bebendo agua para falar com pessoas desconhecidas falando sobre instrumentos e tentando vender os mesmos para elas. Por enquanto está sendo legal.

Sinceramente, eu sinto que não nasci para essa coisa de ser um adulto, mas eu ainda não achei uma formula para não ter de crescer. Por mais triste e exagerada que eu tenha vivido a minha adolecencia, eu sinto que ainda não está na hora de terminar. Eu quero chorar mais, beber mais, rir mais, brincar mais, e ter diversas experiências que não se poder ter quando se assume ser um adulto. Eu não sou nada responsavel. Eu já fui responsavel. Por mim e por outras pessoas... e não gostei, não é legal e o final é ruim. Então se eu tiver que ser assim, daqui pra frente, acho melhor eu dar um jeito de não ter de acordar adulto.

Algo que eu percebo é que os adultos na minha volta são seres sem "coração aberto" e voltados exclusivamente a ganância. Eu acho que algo de mim aprecia isso. Existe um Filho da puta dentro de mim que adora cada grito de guerra que se espalha por aí enquanto a humanidade se mata... enquanto outro sente pena e quer que tudo acabe. Esse segundo está ficando cada vez menor.

Eu gostaria muito de acordar um dia, sair de casa, encontrar o meu passado e passear por lugares tipicos como o gasometro, ou shoppings só para poder dizer que finalmente essa história acabou.
Mesmo que eu esteja mentindo, não posso terminar sem um ponto final.